segunda-feira, 16 de agosto de 2010

“O Nerd de Hoje é o Cara Rico de Amanhã..."

Se o Dr. Brown ajustasse novamente o relógio do De Lorean para 2025, é bem possível que encontrasse menininhas se descabelando em delírio coletivo por um autógrafo via “I-Tunes Store” de um tal de Steve Jobs. Duvida? Exageros a parte. Nada mais é que a constatação de um fenômeno estabelecido.
No século passado,o nerd, também denominado geek, gamer ou fandom, consistia no seguinte estereótipo: Pessoa com problemas de comunicação social, vulgo virgem, alheio a moda, criador de hamsters e/ou tartarugas e/ou lagartos, aficcionado por livros, HQs, tecnologia, filmes japoneses e afins, seriados vulcânicamente complexos, coleção de selos e/ou revistas pornôs, trajando cabelos lambidos e/ou óculos fundo de garrafa. O futuro  desenhava-se como uma “batalha apocalíptica”, não? Foi assim até que...
Bem...nada bombástico aconteceu. haha. Sem que ninguém prestasse muita atenção, a não ser o novos magnatas de Wall Street e Hollywood, a "nerdmania" começava sua revanche. 
1. Advento do videoclipe? "Devo" neles! Checked. 
2. Movimento "mostro meus sentimentos" com Smiths ... Emo? NOOT. Checked. 
3. Filmes como "A Vingança dos Nerds" ,"Explorers"...."X-Men"..."Scott Pilgrim". Checked. 
4. Popularização da internet? Checked. Checked. Checked. 
Um pequeno passo para um Nerd. Um grande passo para...a venda de novos produtos. 
Até chegarmos ao Sheldon de “The Big Bang Theory”, muitos bites rolaram...De 90 pra cá, a música viu gente "estranha" como Thom York, Beck e Jack White ganharem o mainstream. Os quadrinhos passaram a render bons blockbusters e os seriados tomaram o lugar das novelas, no imaginário "cool" popular. Tudo isso, agregado ao hype da maçã de Steve Jobs, nos mostra uma coisa: Não foi o nerd que mudou, foi o mercado que assim como fez com o consumidor gay, descobriu outro nicho fiel, disposto a gastar e melhor: Bastante abrangente.
Hoje, vivemos num mundo em que o "Jovem Nerd" ganha prêmio de melhor podcast na MTV, em que Michael Cera é um cara até "pegável", em que a criação do "Facebook" é argumento de filme e o "Weezer" lança álbum com o "Hurley" de "Lost" na capa. Ser nerd, definitivamente, é estar na moda. Passageira? Não, enquanto render. E olha que nerd gasta como poucos. 

Por outro lado, como "representante light da categoria", espero que toda essa "onda" acabe ajudando na propagação de um futuro pensante, evoluído artística, tecnológica e filosóficamente. Até porque se algo estimula alguém a simplesmente aprender e se divertir, a chance de dar m$%$$$% depois, costuma ser menor. Não é não?
Agora, vamos combinar: Vai dizer que não seria muito bom se o Dr. Brown viesse pra 2010, e desse de cara com Biff Tennen Jr numa mega-fila pra comprar um "I-Pad" ou um “Nintendo 3DS”? Melhor ainda se o Biff-pai aparecesse louco de raiva e encontrasse o querido Sheldon pelo caminho. A palavra de ordem pra começar a luta? Bazzzzinga! haha. Isso é que é vingança dos nerds!

BAZZINGA!!! (Pieza Genérica Musical) from Plop Contenidos on Vimeo.

2 comentários:

  1. Vida longa aos nerds!!!
    Com certeza muitos deles passam por aqui.

    bjoooo, amore!

    ResponderExcluir